segunda-feira, 25 de junho de 2007

Jacas e Jacas

“[Balbinie Poulain] diz: eu dormi igual uma jaca hoje, se é que as jacas dormem
Rev. Robinson diz: e se dormissem, jacas sonhariam?
[Balbinie Poulain] diz: sonhariam com uma grande tomada de consciência de jacas. ^Se tivesse ao menos um gerador de improbabilidade infinita... A gente podia tentar...
Rev. Robinson diz: quando elas dariam por si como jacas. ^ e saber que a função delas e nascer, crescer e morrer pra ser comida
[Balbinie Poulain] diz: elas fariam uma grande revolução ^ caindo deliberadamente nas cabeças humanas
Rev. Robinson diz: ou se acomodariam ^ e aceitariam
[Balbinie Poulain] diz: como a maioria dos humanos faz ^ com a sua condição humana ^ (nó triplo na cabeça agora)
Rev. Robinson diz: uma ou outra cairia na cabeça de alguém importante ^ mas todo mundo diria que foi acidente ^ e as pessoas importantes deixariam de passear debaixo das jaqueiras


Não. Só essa conversa, apesar de fantástica não bastava. Eu poderia escrever algo sobre a sociedade e “A Revolução”, aquela revolução tão esperada e discutida por tanta gente muito mais inteligente que eu através dos tempos. Prefiro apenas falar de Jacas. Ou de pessoas. Tanto faz, dá na mesma...
Acredito que existam jacas comuns (ou civis, como diria o Francis) e jacas especiais. Jacas comuns não me interessam. Agora as jacas especiais vivem tentando perceber tudo, duvidam de muita coisa e talvez até tentem fazer uma revolução, mesmo que seja uma revolução “pocket”, daquelas que acontecem em um pequeno círculo social ou mesmo as revoluções apenas de si mesmo.
A maioria das jacas comuns fica por aí, nas ruas, escritórios e universidades, levando suas vidinhas comuns de jaca e pensando e fazendo o que jacas comuns deveriam fazer. Algumas jacas comuns podem, entretanto, parecerem jacas especiais a olhos distraídos. Elas têm um quê de jaca revolucionária e até enganam por um certo tempo algumas jacas especiais. Mas as jacas especiais de verdade sabem reconhecer uma outra jaca especial. As jacas especiais sentem mais dor porque quando dormem e sonham, tentam tomar consciência de toda essa grande ilusão e do que há por trás dela. Elas vivem caindo de seus galhos.
O mais fascinante é que existem diversos tipos de jacas especiais, tomando consciência cada uma a seu modo e questionando o fato de que nasceram pra serem comidas. Já as jacas comuns são de um tipo só. A diferença são as máscaras que elas usam, às vezes até pra fazer de conta que são jacas especiais.

Ah, e eu nunca comi jaca, a fruta. Quando provar eu conto o que achei...

~~~~~~~~~~~~~~


Top Ipod: For no one – The Beatles


7 comentários:

Rev. Robinson disse...

Quando a minha jaca cair.

Vai matar o presidente.

Quando ela cair, vai mover o mundo todo.

É uma pena ela morrer na queda, pra não ver as novas jacas do mundo novo.

joão disse...

Jacas são gostosas, mas eu prefiro pasteis de queijo que não tem sentimentos, e por isso fazem tudo com naturalidade. O que é que eles fazem na verdade?

balbina_conspira disse...

Eu sou um pastel de queijo cheio de catupiry e pimenta que gosta de queimar as gargantas de quem engole rápido demais sem sentir seu gosto...

joão disse...

E qual a vantagem disso? Todo mundo te vomita depois e vc fica lá jogada no chão ou na privada esquecida pra sempre...

balbina_conspira disse...

O importante é a digestão...

leomax disse...

Do que importa a digestão de um mero pastel que não possui a capacidade de suprir as necessidades do nosso corpo??...bom mesmo é ser uma fruta como a laranja..bonita...saborosa...suculenta...e ainda fornece vitaminas essenciais para nosso bem estar...ou até mesmo uma jaca..que ainda pode iniciar uma revolucão se unindo à laranja e à cenoura

Fadia disse...

Quanta polêmica em torno de uma jaca! Eu prefiro kibes :|

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...